Estudo em física quântica motiva a construção de uma pirâmide no cerrado brasileiro



Visando estudar as interferências sísmicas, cósmicas, a radiação de fundo e a malha eletromagnética, e também para estudar na prática a teoria das cordas, pesquisadores do CTZ - Centro Tecnológico Zigurats estão construindo uma pirâmide na região de Corguinho no Mato Grosso do Sul, 

conhecida por Cidade Zigurats. O CTZ é um centro de pesquisa que se localiza nesse mesmo local.
A pirâmide, que já está em fase final de acabamento é uma réplica construída em escala menor da pirâmide de Saqqara do Egito. Para a construção de Saqqara, os arquitetos escolheram um lugar estratégico, entre 31 e 32 graus de longitude leste e 29 e 30 graus de latitude norte. Pesquisas apontam que esta área no Egito é um eixo muito expressivo da malha eletromagnética terrestre, o que proporciona juntamente com a arquitetura escalonada, a geração da energia conhecida como taquiônica. Já no Brasil, os pequisadores escolheram a região de Corguinho para construírem sua pirâmide devido ao local ser um importante ponto nevrálgico da malha eletromagnética da terra. 
Essa arquitura escalonada também é encontrada em vários outros lugares no planeta, como por ecemplo em Chichén Itzá, na península de Yucatán, no México, demonstrando que essa tecnologia era vastamente usada pelas grandes civilizações do passado e hoje tornou-se um conhecimento perdido.


Baseado em várias pesquisas, visitas e incursões em várias pirâmides e construções escalonadas, bem como na análise de mensagens cifradas em geoglifos em vários locais ao redor do mundo, a equipe do CTZ veio a projetar e construir uma pirâmide seguindo os mesmos padrões matemáticos e arquitetônicos das grandes pirâmides conhecidas. Urandir Oliveira, responsável pelo projeto acredita que os estudos atuais sobre a teoria das cordas e da energia taquiônica, que até então são apenas teorias, possam ser comprovados na prática utilizando essa pirâmide. Um dos objetivos dessa réplica é comprovar cientificamente que a energia taquiônica é uma energia neutra, composta de pares de partículas, que possuem cargas elétricas opostas que se anulam e equilibram, movendo-se 27 vezes mais rápido do que a luz, não possuindo massa, sendo pura energia. 

Os pesquisadores acreditam que a energia gerada pela pirâmide, interagindo com as partículas fotônicas que permeiam o ar, conseguem propagar informações a longas distâncias, podendo até se tornar um meio de comunicação futuro. O estudo na réplica da pirâmide pretende demonstrar também que nossa tecnologia atual é muito primitiva, e que as antigas civilizações não precisavam de cabeamento nem transmissão elétrica, porque sabiam aproveitar e se beneficiar da energia produzida pelas pirâmides, sendo o grande objetivo do CTZ resgatar esse conhecimento.
Alêm dos fins de pesquisa, a pirâmide também poderá ser usada para habitação, e atualmente pode ser visitada por quem tiver interesse. Para conhecer a pirâmide brasileira, entre em contato com 11-34599945 ou pelo email imprensa@projetoportal.org.br
Compartilhar no Google Plus
    Comentar via Blogger
    Comentar via Facebook